a UE vota as primeiras disposições da lei

Enquanto o projeto de lei da Comissão Europeia sobre o direito de reparação será votado no final de 2022, a UE acaba de adotar seus primeiros requisitos sobre o assunto. A oportunidade de conhecer as medidas que estarão contidas neste pilar do plano de ação da UE para uma economia circular.

lei de reparação da UE
Créditos: Unsplash

Há dez anos que o Parlamento Europeu apoia a necessidade de melhorar direito dos consumidores de reparação. Embora o processamento deste arquivo tenha sido atrasado, a Comissão Europeia já adotou duas resoluções que incluem uma série de propostas concretas de reparações para se tornar “sistemática, lucrativa e atrativa”.

Na pendência da apreciação do projeto de lei da Comissão sobre o direito a indemnização no final de 2022, os eurodeputados acabam deadotar seus primeiros requisitos sobre o assunto, com 590 votos a favor, 3 contra e 13 abstenções. Assim, os deputados concordaram com o fato de que um direito efetivo à reparação “deve levar em conta o ciclo de vida de um produto, seu design, princípios éticos de produção, padronização, rotulagem informativa sobre reparabilidade e contratação pública”.

UE apresenta suas demandas por um direito efetivo de reparação

Outro ponto, os representantes europeus querem que as peças que compõem os produtos são fáceis de removere consideram, ao mesmo tempo, que um direito efetivo à reparação deve garantir acesso gratuito a informações de reparo e manutenção. No que diz respeito aos dispositivos digitais e, em particular, aos smartphones, os eurodeputados consideram que as atualizações de software não devem causar degradação do desempenho.

Além disso, os usuários devem ter a capacidade de reverter para uma versão anterior do software. Além disso, as práticas que limitam injustificadamente o direito de reparação ou conduzem à obsolescência programada devem ser consideradas “práticas comerciais desleais” proibidas e sancionadas pela legislação europeia.

lei de reparação da UE
Créditos: Unsplash

Informações mais claras e períodos de garantia mais longos

Aqui estão as outras medidas exigidas pelos deputados para alcançar um direito efetivo de reparação:

  • medidas para incentivar os consumidores a escolha o reparo em vez da substituição como a extensão dos períodos de garantia e o empréstimo de um dispositivo sobressalente durante os reparos
  • Informações de ponto de venda mais claras, como taxas ou índices de reparabilidadevida útil estimada, peças de reposição, serviços de reparo e disponibilidade de atualizações de software
  • Rotulagem inteligente como QR Codes para ser digitalizado em produtos e “passaportes digitais”

De acordo com o último inquérito Eurobarómetro, 79% dos cidadãos da UE consideram que os fabricantes deveriam ser obrigados a facilitar a reparação dispositivos digitais ou a substituição de suas peças individuais. Relembramos que alguns fabricantes já tomaram medidas para promover a reparação dos seus smartphones. Este é o caso de Samsung pretende vender peças de reposição para os Galaxy S20 e S21. Do lado da Apple, em breve será possível reparar o seu iPhone numa loja Fnac Darty após a assinatura de uma parceria entre os dois grupos.

Leave a Comment