Vendas de carros caem 20% na Europa devido à guerra na Ucrânia

Devido a dificuldades de produção causadas pela guerra na Ucrânia e escassez de componentes eletrônicos, as vendas de carros novos na Europa caíram 20% em março de 2022. Este é um recorde não alcançado desde 1990.

Créditos: Unsplash

Como sabem, a guerra na Ucrânia já está a ter um impacto direto em muitas indústrias na Europa, começando pela indústria automóvel. Já em março de 2022, muitos especialistas concordaram que o preço de venda dos carros aumentaria. A culpa é das dificuldades na linha de produção encontradas pelos fabricantes, ligadas em particular ao conflito, mas também escassez de componentes eletrônicos.

Suas previsões de fato se mostraram corretas, como revela o último relatório da European Builders Association (ACEA). Segundo a organização, vendas de carros novos no Velho Continente caíram 20,5% em março de 2022, com um total de 844.187 veículos vendidos no período. Trata-se de um recorde histórico, pois é o mais baixo volume de vendas para um mês de março desde a criação deste estudo estatístico em 1990.

É claro que a associação não leva em consideração o ano de 2020, durante o qual a economia mundial ficou paralisada devido à pandemia. O que explica essa queda drástica nas vendas? Sem surpresa, encerramento de várias fábricas na Ucrânia por causa da guerra prejudicou as capacidades de produção dos fabricantes de automóveis europeus, já impactados pela escassez de componentes eletrônicos.

A guerra na Ucrânia pesa sobre as vendas de carros na Europa

Deve-se notar que a Ucrânia é um dos Fornecedores líderes de cablagens da Europa, componentes essenciais que permitem que a corrente seja transportada para os equipamentos elétricos de um carro. Por falta de peças, várias marcas já anunciaram a suspensão da fabricação de alguns modelos, como a Volkswagen que interrompeu a produção do ID.3 e ID.4 por falta de chips. De fato, a marca alemã suspendeu temporariamente as atividades de Zwickau, seu centro de produção dedicado a carros elétricos. O número 2 europeu Stellantis foi forçado a fechar sua fábrica na Rússia, por causa da escassez aqui novamente.

Este é também o caso da França, onde a Renault fechou as portas da fábrica de Douai por dez dias. Sem surpresa, encontramos esta queda nas vendas de carros novos em vários países europeus:

  • Alemanha: -17,5%
  • França: -19,5%
  • Itália: – 29,7%
  • Espanha: – 30,2%
  • Polônia: – 17,4%
  • Bélgica: – 17,7%
  • Suécia: – 39,5%

Seja como for, os fabricantes concordam que as metas de vendas terão que ser ajustadas se a situação persistir.

Leave a Reply

Your email address will not be published.